SMART é um Corretor Ortográfico para Metas. OKR é o Placar.

OKR & SMART Goals

Eu adoro bons corretores ortográficos. Como produzo muito conteúdo em Inglês, eles melhoram o material que gero para meus clientes e tornam minha vida mais fácil como um não-nativo. Mas nem mesmo o melhor corretor pode me dizer se o meu conteúdo é útil.

As metas SMART são os corretores ortográficos do mundo das metas. Elas podem ajudar a garantir que você defina corretamente a sua meta, mas eles não o ajudarão a definir as metas que importam. Como Dick Grote escreveu para a Harvard Business Review, a SMART é uma técnica que você deve evitar (tradução minha):

Elas fornecem ajuda para determinar se a meta em si é uma boa idéia. Em outras palavras, sua meta pode ser facilmente SMART sem ser sábia.

George Duran cunhou o acrônimo SMART em um breve artigo em 1981, e sua ideia era convincentemente simples – a maioria dos gestores não sabe como escrever metas, então as empresas precisam dar para elas critérios claros a serem seguidos. Duran sugeriu que todos as metas deveriam ser SMART:

  • Specific – foque em uma área específica para melhoria.
  • Measurable – quantifique ou, pelo menos sugira, um indicador de progresso.
  • Assignable – especifique quem irá fazê-lo.
  • Realistic – indique quais os resultados podem ser realisticamente atingidos, dados os recursos disponíveis.
  • Time-related – especifique quando os resultados podem ser alcançados.

As pessoas estão sempre à procura de uma bala de prata, e a SMART tornou-se rapidamente o padrão não oficial para metas em empresas em todo o mundo. Muitas empresas acreditavam que ao usar a SMART poderiam fazer com que todos os seus problemas com metas desaparecessem magicamente. Mas o contrário pode acontecer.

Quando SMART Dá Errado

Em Mais Rápido e Melhor, Charles Duhigg descreve como a mentalidade SMART se tornou parte da cultura da GE – e como a empresa descobriu que estava levando as pessoas a criar metas triviais. Um gerente estabeleceu uma meta SMART para construir uma cerca, enquanto uma secretária tinha uma para pedir material de escritório (tradução minha):

Muitas das metas SMART que os consultores encontraram dentro das fábricas eram igualmente detalhadas – e triviais. Os trabalhadores passaram horas certificando-se de que suas metas satisfaziam todos os critérios SMART, mas passavam muito menos tempo garantindo que valia a pena perseguir aquelas metas em primeiro lugar. […]

Mesmo os executivos seniores das plantas, descobriram os consultores, foram presas de uma obsessão por metas alcançáveis, mas sem valor, e se focaram em metas de curto prazo sem importância em vez de planos mais ambiciosos.

A Explosão de Siglas

A segunda questão com a SMART é que vários autores criaram suas versões, tentando tirar proveito da sigla “cool.” Alguns afirmam ter melhorado e resolvido suas limitações, mas acabam criando muita confusão. A sigla quer dizer “Achievable, Relevant, e Time-bound” ou “Aligned, Realistic, e Trackable”? O M significa “mensurável” ou “motivador”?

Algumas versões são até redundantes. Em seu livro, Duhigg afirma que os objetivos SMART devem ser alcançáveis ​​e realistas. Qual é a diferença?

Ter várias variantes de uma sigla derrota o propósito de usá-la em primeiro lugar, não importa o quão legal ela soe. Há pouco benefício em usar um termo que seja fácil de lembrar quando cada pessoa pode ter um significado diferente para ele.

Do Corretor Ortográfico para o Placar 

George Duran estava certo sobre uma coisa: as pessoas não sabem usar metas e as empresas precisam apoiá-las. Mas dar aos empregados um corretor ortográfico – especialmente um com várias versões – não ajuda. Muitas pessoas estão simplesmente ticando os itens em um check-list de metas ao invés de entender o propósito por trás dele. 

Em vez disso, temos que ensinar as pessoas a usar OKR para criar o placar do time e alinhar todos ao seu redor. Aprendemos a melhorar as nossas metas da mesma forma que aprendemos a melhorar nossa escrita: através do treinamento, da prática e do feedback. Ao fornecer treinamento e feedback para seus funcionários e ao fazer do OKR uma parte do seu modelo de gestão, você alcançará resultados que nenhum revisor pode oferecer.

This post is also available in: EN