Como o Silicon Valley define metas: uma introdução à OKR

O que é OKR?

OKR (Objectives and Key Results) é um framework de definição de metas criado pela Intel e adotado por diversas empresas do Silicon Valley. O Google é o caso mais famoso, tendo adotado OKR no seu primeiro ano. Twitter, LinkedIn, Dropbox e Oracle estão entre os outros usuários.

O investidor John Doerr, que introduziu o Google à OKR, tem uma grande dica para definir metas (dos Goals Guides da Betterworks): (minha tradução)

John Doerr acredita que existem três palavras que fazem metas acontecerem: “como medido por.” Assim, uma regra simples para boas metas é a seguinte:

Eu vou ________ como medido por ____________.

Um OKR pode ser pensado como um comprometimento redigido como:

Eu vou (Objetivo) como medido por (este conjunto de Key Results).

Então um OKR tem dois componentes, o Objetivo (O que queremos atingir) e um conjunto de Key Results (Como sabemos se estamos chegando lá):

Objetivo

  • O que queremos atingir.
  • Qualitativo.
  • Aspiracional (recomendado).

Key Results (um pequeno conjunto por Objetivo)

  • Como sabemos se estamos chegando no nosso Objetivo.
  • Quantitativo.
  • Critérios de Sucesso que mostram se estamos progredindo.
  • Métricas (recomendado) ou Milestones.

Como um exemplo, imagine uma empresa digital que quer aumentar o engajamento e a satisfação dos clientes:

Objetivo: Encantar os clientes

Key Results:

  • Visitas Recorrentes: média de 3.3 visitas por semana por usuário ativo.
  • Alcançar um Net Promoter Score de 90%.
  • Tráfego não pago (orgânico) de 80%.
  • Engajamento: 75% dos usuários possui um perfil completo.

O que é único sobre OKR?

  • Simplicidade: Para fazer ciclos frequentes de definição de metas (A Intel costumava usar OKRs mensais), o processo é extremamente simples. Os próprios OKRs devem ser simples e facilmente compreendidos.
  • Cadência curta: Ao invés de utilizar um processo anual estático de planejamento, OKR usa ciclos curtos de desdobramento de metas (normalmente todo trimestre), permitindo a adoção de Metas Ágeis e mais rápida adaptação à mudança.
  • Muitos Sabores: OKR é um framework open source então as empresas o adaptam para cada cultura e contexto, criando versões diferentes. Este é um grande benefício já que OKR é facilmente adaptável, mas pode confundir aqueles que estão buscando uma receita passo-a-passo.
  • Stretch Goals: Metas que tiram o time da zona de conforto e fazem com que as pessoas repensem a maneira de trabalhar para atingir máxima performance (leia mais, em Inglês).
  • Separação de remuneração e avaliação: Desacoplar metas de salário e promoções é chave para que o time possa buscar metas difíceis e aspiracionais (leia mais, em Inglês).

Conceitos Chave

  • Alinhamento e Transparência: O principal objetivo de OKR é gerar alinhamento na organização. Para fazer isto, os OKRs são públicos para todos os níveis da empresa — todos tem acesso aos OKRs de todos. Os OKRs do CEO usualmente estão disponíveis na Intranet.
  • Definidos Top Down e Bottom Up simultaneamente: A partir dos OKRs da empresa os times são capazes de receber um direcionamento claro e compreender como eles podem contribuir para estas metas. Cerca de 60% dos OKRs são definidos pelo time e validados pelos gestores em uma abordagem “bubble-up”.
  • Foco e Disciplina: OKRs existem para definir prioridades claras e focar a organização. Para fazer isto, você deve ter poucos OKRs. Cada pessoa deve ter 4–6 objetivos e até 5 Key Results por objetivo.